quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Quem dera eu pudesse me esquecer das coisas...


Procuro esquecer-me das coisas por mera necessidade, mas são apenas flashes de esquecimento...

A lembrança de que um dia eu tive câncer, ou de que um dia eu possa ter recidiva, são pensamentos que me acompanham constantemente...quando acordo pela manhã, quando vou dormir...às vezes, até em meus sonhos...

Convivo com a "carga" de quem teve câncer e resolveu se engajar no combate ao mesmo! Mas tudo tem o seu preço, não?

Sou quase que "obrigada" a me recordar, diariamente, da minha condição de "paciente com câncer de ovário"...isso, pelo simples fato de eu ter abraçado uma causa (o combate e prevenção ao ca de ovário) e ter me tornado uma pessoa praticamente "pública", além de referência no assunto...

Para poder esquecer essa minha "condição" e para aliviar a minha mente, procuro por "válvulas de escape" que, supostamente, me ajudam a ter uma vida pós-câncer...mas não tem sido tarefa das mais fáceis. Muitas vezes, acabo metendo os pés pelas mãos em busca do meu norte...

Essas "válvulas de escape" me ajudam a FUGIR da minha realidade! 

Lí uma vez esse pensamento:
"Não sei quem inventou que é preciso ser a gente mesmo o tempo todo, que não se pode diversificar. Se fosse assim, não existiria o teatro, o cinema, a música, a escultura, a pintura, a poesia, tudo o que possibilita novas formas de expressão, além do script que a sociedade nos intima a seguir: nascer-estudar-casar-ter filhos-trabalhar-e-morrer..." 

...e, baseando-me no mesmo, acabo criando várias "facetas" de mim mesma, para poder conviver com um "EU" mexido, remexido, revirado e transformado!

...mas, de uma coisa eu tenho certeza...
Assim,  como a minha amiga Lú costuma dizer, "A mulher que renasce dos destroços do câncer é uma mulher que curte a vida. Ama a vida! Que quer viver muito! É uma mulher que tem um olhar diferenciado para a humanidade. É uma mulher muito mais sensível e que se emociona facilmente, até com propagandas de televisão"...rsrsr



9 comentários:

  1. Puxa, Nanci!
    Sabe, ao ler sua publicação me senti culpada pelo peso dessa "carga" que você carrega. Ainda hoje fiz um comentário falando como admiro vc e a Luciene pela garra, comprometimento com a nossa causa, pelo otimismo e fé que me transmite. Pra piorar foi justamente essa palavra que usei: "engajada", não sabia que se sentia assim, mas percebo também que realmente deva ser um peso. Esse medo que vc fala, eu também tenho, porém é mais forte próximo à realização dos exames. É barra, né?
    Desculpe-me, se de uma forma ou de outra, contribuí com essa "cobrança" em torno de vc, mas como disse, realmente se tornou uma pessoa pública e referência no assunto e o seu blog foi um dos primeiros e mais importante quando tudo começou em minha vida. Você é um dos grandes exemplos que tenho. Está vendo? Mais uma vez, eu estou colocando esse "peso" em vc! Rs. Mas não tem jeito, te admiro tanto que não consigo esconder. Mas eu entendo sua posição, viu? Fique tranquila, vai dar tudo certo!!!
    Queria estar aí do seu lado pra te dar um abraço beeeem apertado.
    Receba meu carinho.
    Bjs, bjs e mais bjs pra você.
    Soniah.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Soniah...tudo tem seu preço e, se for para eu escolher entre abraçar essa causa ou me livrar do peso, escolho a primeira alternativa...Beijos e obrigada pelo abraço (senti-me realmente abraçada por você!)

      Excluir
  2. Calendário da vida

    Há dias que... não.
    Há dias que não estamos bem...
    Há dias que não queremos falar!
    Há dias que não queremos ver!
    Há dias que não queremos ouvir!
    Há dias que não queremos ser nada!
    Há dias que não se admite!

    Há dias que ... nem.
    Há dias que nem queremos estar bem,
    Há dias que nem quero me importar,
    Há dias que nem me preocupo.
    Há dias que queremos só ficar ali...
    Há dias que o só ficar ali... é só!

    Há dias que apenas há!
    Há dias que o apenas existir é o haver.
    Há dias que não se adia.
    Há dias que não Hádianta!
    Há dias que se levanta
    Há dias que se leva
    Há dias que se deixa levar

    Há dias longos
    Há dias curtos
    Há dias de sol
    Há dias de chuva
    Há dias que se quer tomar banho de chuva...

    Há dias que se escolhe não esperar.
    Há dias que se escolhe não ser,
    Mas amanhã é outro dia!
    E o que Haverá?
    Haaa... a vida um eterno calendário!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A você, quem quer que seja, muito obrigada pelo poema!
      Estou no momento em que não estou bem, em que não quero falar, ouvir ou me importar...
      Esperando chover para tomar aquele banho de chuva e poder lavar a minha alma!
      Beijos.

      Nan

      Excluir
  3. O mais importante é saberes que essa preocupação constante é normal, eu também teria as mesmas preocupações e pensamentos. Tente se distrair ao máximo e mentalizar que estás curada, pois tenho certeza disso. Fique com Deus ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Caro (a) leitora,
      Obrigada pelas suas palavras...Prometo que tentarei me distrair e mentalizar que estou mesmo curada!
      Beijos.
      Nan

      Excluir
  4. Você é uma pessoa iluminada, este peso que carrega alivia o peso de outras pessoas. Como você disse é o preço, mas saiba que assim como há um preço pela sua dedicação e amor há também as compensações.Deus que tudo vê, sabe de tudo isso e com certeza inúmeras bençãos e graças serão destinadas a você por este trabalho fantástico. Que Deus te bençõe.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahhhh, vocês bem que podiam se identificar nos comentários, não é?
      Gostaria tanto de agradecer nominalmente...mas, de qualquer forma, muito obrigada pelas palavras de carinho!
      Beijos.
      Nan

      Excluir

OBRIGADA PELO SEU COMENTÁRIO, MUITO BOM TER VOCÊ POR AQUI! AJUDE-NOS NA CAMPANHA DE CONSCIENTIZAÇÃO DE COMBATE AO CA DE OVÁRIO, DIVULGANDO E COMPARTILHANDO AS NOSSAS POSTAGENS!

Ser bonzinho demais pode fazer mal!

Provavelmente, você já deve ter ouvido a frase: “bonzinho só se ferra”. Pois bem, existe um certo acordo universal, que parece realmente ...