quarta-feira, 9 de agosto de 2017

CABELOS APÓS A QUIMIOTERIA: o que pode e o que não pode? – com Dr.ª Roberta Peres.

Depois do câncer e o tratamento oncológico, o cabelo muda de textura?  Nasce mais branco? Será que pode pintar o cabelo após a quimioterapia? A equipe do Viver Eu Quero tem recebido muitas dúvidas sobre tratamentos estéticos após a quimioterapia ou radioterapia e decidimos fazer um especial de matérias sobre tema.

Hoje começaremos especificamente com o tema cabelos e pêlos.

Levamos as dúvidas dos nossos leitores à Dr.ª Roberta Peres, dermatologista especializada em medicina estética e que já possui a experiência de tratar, em sua área, diversos pacientes oncológicos.

Bora conferir!




VIVER EU QUERO (VEQ) –  É verdade que o cabelo pode voltar diferente? Quem tinha cabelo liso pode ficar com cabelo cacheado e vice-versa? Há uma explicação científica para este fenômeno?

DR.ª ROBERTA PERES  (RP) – “É verdade sim. A quimioterapia altera as células germinativas do couro cabeludo, de forma que elas acabam morrendo. Quando os fios voltam a crescer, eles crescem em ciclos diferentes, primeiro mais grossos, depois mais finos, o que deixa o cabelo desigual. Além disso, ocorre uma redução da espessura do fio, por isso, é normal o cabelo ficar mais ondulado e um pouco mais frágil no início.”

(VEQ) – E quanto à pigmentação? Muitos pacientes reclamam que o cabelo retorna com mais fios brancos. É um fato?

(RP) – “Sim, mas a tendência é normalizar.”

(VEQ) – Pacientes que tiveram um câncer nunca mais poderão pintar os cabelos ou usar outros produtos químicos? Há alguma evidência de que o uso de tais produtos propicie uma recidiva?

(RP) – “Não. Eu recomendo pintar os cabelos somente após 3 meses do término do tratamento, pois os produtos químicos podem ferir o couro cabeludo e enfraquecer a estrutura dos fios novos.

Quanto ao segundo questionamento, não, não há evidência.”

(VEQ) – Como fica a questão do crescimento dos cabelos ou pêlos na área irradiada? Eles voltam a crescer?

(RP) – “A área irradiada é dose dependente, mas normalmente os pêlos não voltam a crescer na área irradiada.”

 (VEQ) – Há procedimentos ou tratamentos que favoreçam um crescimento mais acelerado após os tratamentos oncológicos? Existe contraindicações?

(RP) – “Sim. Diversas vitaminas são essenciais para o crescimento do cabelo, como as vitaminas do complexo B e as vitaminas A, C, D e E, pois ajudam a manter a pele e couro cabeludo saudáveis, além de fortalecerem os fios de cabelo. Elas também são importantes para o sistema imunológico, ajudando na recuperação e no fortalecimento do corpo. Além de uma alimentação saudável é importante lançar mão dessas vitaminas na fórmula de cápsulas. Outras medicações também podem ser prescritas para aumentar a densidade dos fios e ajudar no crescimento. Existem ainda tratamentos com laser e LED que podem ser feitos com resposta satisfatória.”

(VEQ) – Quanto aos cílios e sobrancelhas, existem produtos no mercado que prometem especificamente o alongamento desses fios (para qualquer pessoa, independentemente de seu histórico clínico). Pacientes oncológicos podem lançar mão de tais produtos?

(RP) – Não recomendo o uso desses produtos durante o tratamento, pois os cílios irão cair independente de seu uso, mas após o término o paciente pode usar sim.

(VEQ) – Muitos pacientes ficam divididos entre fazer o que julga ser mais natural  (sob a ótica de que o “natural” é um sinônimo de “saudável”) e o que lhe deixa psicológica e emocionalmente mais satisfeito, como por exemplo, simplesmente pintar os cabelos brancos (o que comumente deixa o paciente mais à vontade com sua autoimagem).
A psiquê também integra a saúde de qualquer ser humano e isso nos leva a questionar: com bom senso, os cuidados estéticos não colaboram para a saúde desta pessoa?

(RP) – “Acredito sim que os cuidados estéticos quando orientados por profissional adequado ajudam (e muito) o paciente oncológico, uma vez que elevam a autoestima e melhoram o humor da paciente. Pacientes felizes lidam melhor com sua doença, e não há nada mais gostoso do que olhar-se no espelho e sentir-se bem. Tudo que é feito com moderação e bom senso ajudam o paciente nessa difícil jornada.”

VIVER EU QUERO (VEQ) – Alguma outra consideração a respeito do tema ou uma mensagem final para nossos leitores?

(RP) –  “Olhar a vida com bom humor, atitudes positivas e agradecer a Deus sempre!”

E aí gostaram?

Fonte: https://vivereuquero.com/a-autora/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

OBRIGADA PELO SEU COMENTÁRIO, MUITO BOM TER VOCÊ POR AQUI! AJUDE-NOS NA CAMPANHA DE CONSCIENTIZAÇÃO DE COMBATE AO CA DE OVÁRIO, DIVULGANDO E COMPARTILHANDO AS NOSSAS POSTAGENS!

Exame de sangue em estudo pode detectar câncer em estágio inicial

Teste identifica rastros do código genético de vários tipos de tumores. Biópsia líquida deve estar disponível aos pacientes no prazo de 2...