sexta-feira, 23 de junho de 2017

Notícias ASCO sobre câncer de ovário

O congresso americano de oncologia (conhecido como a ASCO) aconteceu entre 01 a 06 de junho deste mês e lá foram apresentadas as principais novidades do tratamento do câncer de ovário.
Seguem algumas das novidades apresentadas:
- A cirurgia do câncer de ovário geralmente é bastante extensa, a chamada citorredução. Um estudo apresentado mostrou que não há benefício na ressecção de linfonodos (também conhecidos como gânglios) da região pélvica. Esse dado é muito importante, pois permite que seja realizada uma cirurgia com menos riscos, sem prejuízo às pacientes.
- Outro estudo importante apresentado mostrou o a importância da cirurgia na recidiva da doença. Esse estudo dividiu as pacientes com recidiva da doença com mais de seis meses do término da quimioterapia em dois grupos: um grupo que realizou cirurgia seguido de quimioterapia e outro grupo que realizou somente quimioterapia. As pacientes que realizaram cirurgia tiveram mais tempo sem doença e sem nova recidiva. Logo, sempre que possível deve ser indicada nova cirurgia para essas pacientes.
- Sobre novidades de tratamento, foi apresentado estudo com a droga Cediranibe, um anticorpo monoclonal com ação nos vasos sanguíneos, à semelhança do medicamento Bevacizumabe (Avastin). Essa medicação foi avaliada em pacientes que tiveram recidiva do câncer de ovário e foi combinada com o uso de quimioterapia. O uso de Cediranibe mostrou aumento do tempo da paciente sem recidiva da doença. Trata-se de medicação oral, o que facilita muito sua administração. Os principais efeitos colaterais são diarréia, hipertensão e alteração da voz, contudo não houve piora da qualidade de vida das pacientes do estudo. Sobre a droga Olaparibe, medicação oral já aprovada no Brasil para pacientes com mutação do gene BRCA na recidiva da doença, foi estudado essa medicação como tratamento após a primeira quimioterapia (antes da recidiva). O estudo mostrou que aumentou o tempo sem recidiva da doença, sem piora em qualidade de vida das pacientes.
Dra Graziela Zibetti Dal Molin – oncologista clínica do hospital São José/ Beneficência Portuguesa de São Paulo. Atualmente pós graduanda do hospital MD Anderson/Houston.

2 comentários:

  1. Parabéns pelo,blog e pela sua força e capacidade de transformação! Um abraço!

    ResponderExcluir

OBRIGADA PELO SEU COMENTÁRIO, MUITO BOM TER VOCÊ POR AQUI! AJUDE-NOS NA CAMPANHA DE CONSCIENTIZAÇÃO DE COMBATE AO CA DE OVÁRIO, DIVULGANDO E COMPARTILHANDO AS NOSSAS POSTAGENS!

CÂNCER DE OVÁRIO - NOSSA VOZ GANHANDO FORÇAS

Há 5 anos atrás muito pouco se ouvia falar sobre câncer de ovário! Muitas mulheres diagnosticadas com ca de ovário  sofriam caladas e isol...