sexta-feira, 23 de junho de 2017

Notícias ASCO sobre câncer de ovário

O congresso americano de oncologia (conhecido como a ASCO) aconteceu entre 01 a 06 de junho deste mês e lá foram apresentadas as principais novidades do tratamento do câncer de ovário.
Seguem algumas das novidades apresentadas:
- A cirurgia do câncer de ovário geralmente é bastante extensa, a chamada citorredução. Um estudo apresentado mostrou que não há benefício na ressecção de linfonodos (também conhecidos como gânglios) da região pélvica. Esse dado é muito importante, pois permite que seja realizada uma cirurgia com menos riscos, sem prejuízo às pacientes.
- Outro estudo importante apresentado mostrou o a importância da cirurgia na recidiva da doença. Esse estudo dividiu as pacientes com recidiva da doença com mais de seis meses do término da quimioterapia em dois grupos: um grupo que realizou cirurgia seguido de quimioterapia e outro grupo que realizou somente quimioterapia. As pacientes que realizaram cirurgia tiveram mais tempo sem doença e sem nova recidiva. Logo, sempre que possível deve ser indicada nova cirurgia para essas pacientes.
- Sobre novidades de tratamento, foi apresentado estudo com a droga Cediranibe, um anticorpo monoclonal com ação nos vasos sanguíneos, à semelhança do medicamento Bevacizumabe (Avastin). Essa medicação foi avaliada em pacientes que tiveram recidiva do câncer de ovário e foi combinada com o uso de quimioterapia. O uso de Cediranibe mostrou aumento do tempo da paciente sem recidiva da doença. Trata-se de medicação oral, o que facilita muito sua administração. Os principais efeitos colaterais são diarréia, hipertensão e alteração da voz, contudo não houve piora da qualidade de vida das pacientes do estudo. Sobre a droga Olaparibe, medicação oral já aprovada no Brasil para pacientes com mutação do gene BRCA na recidiva da doença, foi estudado essa medicação como tratamento após a primeira quimioterapia (antes da recidiva). O estudo mostrou que aumentou o tempo sem recidiva da doença, sem piora em qualidade de vida das pacientes.
Dra Graziela Zibetti Dal Molin – oncologista clínica do hospital São José/ Beneficência Portuguesa de São Paulo. Atualmente pós graduanda do hospital MD Anderson/Houston.

segunda-feira, 5 de junho de 2017

Novos estudos para cirurgia de câncer de Ovário - ASCO 2017


O Dr. Fernando Maluf traz informações sobre o Lion e Ago Desktop III apresentados na sessão de estudos ginecológicos da ASCO 2017,  estudos esses relacionados ao câncer de ovário – doença que em quase 80% dos casos é diagnosticada em fase avançada. Dr. Maluf ainda reforça que nem sempre o tratamento mais radical é a melhor decisão e que casos cirúrgicos devem ser realizados em momentos específicos em cada paciente. 



Exame de sangue em estudo pode detectar câncer em estágio inicial

Teste identifica rastros do código genético de vários tipos de tumores. Biópsia líquida deve estar disponível aos pacientes no prazo de 2...