terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Quando pedir uma segunda opinião médica

Tenho visto no grupo, Câncer de Ovário: Juntas somos mais fortes, alguns questionamentos sobre quando procurar uma segunda opinião médica. Eu, particularmente, acho de extrema importância poder discutir com o médicode forma aberta, o diagnóstico, o prognóstico e as opções de tratamento. Há mais de 5 anos, sou acompanhada pelo Dr. Carlos Faloppa, cirurgião oncoginecológico do AC Camargo e temos tido uma excelente relação médico-paciente! Eu o procurei logo após ter recebido o diagnóstico de câncer de ovário em um outro hospital e, digo a vocês que foi a melhor decisão que pude tomar em minha vida!

Esse artigo elucida o porquê devemos procurar outras opiniões e condutas médicas quando se tem dúvidas, ou  quando não se está seguro! 

Por quê?

É uma boa idéia ter opiniões adicionais sempre que o paciente ou os familiares sentem-se incertos sobre os conselhos que estão sendo dados. Os médicos geralmente concordam com condutas e tratamentos bem estabelecidos e conhecidos para alguns tipos de neoplasias, mas podem discordar em relação a outros tipos de câncer. Nem sempre uma pessoa busca uma outra opinião com a intenção de mudar de médico, mas apenas para se sentir mais segura com o que está acontecendo.
Mesmo quando há concordância que determidada conduta é a que tem mais chance de controlar a doença, podem existir ainda dúvidas sobre efeitos colaterais e a capacidade do paciente tolerar o tratamento, além da possibilidade de melhora ou piora da qualidade de vida com determinado tratamento. Às vezes podem ser necessárias até três ou quatro avaliações diferentes para que o paciente se sinta seguro de qual é o melhor caminho a ser seguido.

O diagnóstico está correto?

Ocasionalmente a própria confirmação do diagnóstico requer uma segunda opinião. Isto pode significar que é necessária uma revisão da biópsia por um segundo patologista, ou que outro radiologista verifique a radiografia (ou outro exame de imagem) para ter certeza da acurácia do diagnóstico.

Qual tratamento é melhor?

Muitas pessoas procuram outro especialista para ajudá-las a escolher entre opções sugeridas pelo seu médico, ou para checar outras possibilidades.
As terapias usadas contra o câncer podem causar conseqüências a longo prazo, como mudanças na aparência, infertilidade, necessidade de uso de bolsas de colostomia. Os benefícios de um determinado tratamento, portanto, devem ser balanceados com as possíveis conseqüências (ou efeitos colaterais). Terapias diferentes apresentam várias vantagens e desvantagens que o paciente deve pesar, em ralação ao estágio da vida, necessidades de carreira, expectativas da família, esperanças e desejos próprios.
Mesmo quando duas opções de tratamento são similares em relação à eficácia, elas podem apresentar efeitos muito diferentes na vida de uma pessoa. Por isso, há necessidade de o máximo de informação possível antes da tomada de uma decisão.

Segundas opiniões durante o tratamento

A decisão de procurar outras opiniões não é tomada apenas antes do tratamento. Ocasionalmente no meio do tratamento ocorrem dúvidas, pelo fato do tumor não estar respondendo do modo esperado. Ou no final de um tratamento, pode ser necessária a avaliação sobre a necessidade de alguma terapia comlementar.

Quando uma segunda opinião é necessária?

  • O médico não consegue determinar a causa de seus sintomas;
  • Você quer confirmar a primeira recomendação do tratamento feita;
  • Seu médico não é oncologista;
  • Seu médico não tem experiência em tratar o seu tipo específico de câncer;
  • Você quer se assegurar que está recebendo o tratamento mais recomendado;
  • Você está preocupado em relação a efeitos colaterais de curto e longo prazo em relação ao tratamento recomendado;
  • Você está interesado em tratamentos experimentais;
  • Você tem problemas de comunicação com seu médico;
  • O tratamento recomendado interferirá com o modo em que você leva sua vida, e você quer saber se existem outras opções;
  • Você não confia no seu médico, ou se sente desconfortável com as suas recomendações;
  • Seu médico está subestimando a seriedade de sua condição de saúde ou de suas preocupações.

Quando as opiniões são conflitantes

Um médico pode recomendar tratar determinado tipo de câncer com uma combinação de cirurgia radical, associada a radioterapia posterior, mais quimioterapia agressiva. Outro médico, no entanto, prefere um tratamento mais conservador, com cirurgia menos agrassiva, associada ou não a tratamentos posteriores. Como você pode decidir qual caminho a seguir?
Neste ponto, um oncologista deve saber explicar todos os prós e os contras de cada proposta. O seu médico de referência pode ajudar a apontar as vantagens e desvantagens das recomendações conflitantes. O importante é não se sentir pressionado a definir uma decisão até que se esteja satisfeito de que toda informação necessária esteja clara.
O importante é ter confiança no que está sendo feito. É o primeiro caminho para o sucesso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

OBRIGADA PELO SEU COMENTÁRIO, MUITO BOM TER VOCÊ POR AQUI! AJUDE-NOS NA CAMPANHA DE CONSCIENTIZAÇÃO DE COMBATE AO CA DE OVÁRIO, DIVULGANDO E COMPARTILHANDO AS NOSSAS POSTAGENS!

A.C.Camargo Cancer Center e Institut Curie firmam acordo de colaboração para pesquisa do câncer e os primeiros alvos são os sarcomas e radioterapia

Acordo de colaboração científica entre o A.C.Camargo Cancer Center e um dos principais centros europeus de pesquisa do câncer, o Institut ...