segunda-feira, 18 de abril de 2016

Gente, que cansaço é esse?


Depois da terceira quimioterapia estou experimentando um novo sintoma: a Fadiga. Mas não é aquele cansaço que passa após descansar ou dormir...é aquele cansaço extremo que persiste, uma falta de energia que tira a vontade até de levantar da cama, que torna a tarefa mais simples difícil de ser executada, como lavar um copo, por exemplo...tento caminhar e me arrasto igual a uma lesma, subo uma escada e já estou ofegante...affff...A químio é um tratamento agressivo e que pode ser muito mais sentido por uns e menos por outros.... No meu caso, sinto muitas reações: dores nos ossos, fadiga, neuropatia, insônia, enjôo...

A Fadiga é um dos sintomas mais prevalentes entre os efeitos colaterais da quimioterapia e é a causa de elevado estresse para as pacientes. Fadiga é definida como uma persistente e subjetiva sensação de cansaço, relacionado à doença ou ao seu tratamento, que interfere no desempenho das atividades usuais. É acompanhada por queixas de falta de energia, exaustão, perda de interesse por atividades anteriormente prazerosas, fraqueza, dispneia, dor, alterações de paladar, prurido, lentidão, irritabilidade e perda de concentração. 

Com o avanço das técnicas diagnósticas e terapêuticas, a sobrevida dos pacientes com câncer tem aumentado e, consequentemente, maior importância tem sido dada à qualidade de vida. A Fadiga influencia na qualidade de vida por ser um sintoma debilitante e crônico em pacientes com câncer. Altamente prevalente, a sensação de fadiga é experimentada por até 95% dos pacientes oncológicos durante ou após o tratamento, porém sua incidência na literatura é muito diversa, com poucos dados sobre o assunto. 

Apesar da alta prevalência, a fadiga em pacientes com câncer ainda é pouco entendida e sua etiologia após o tratamento ainda permanece incerta. As consequências do sofrimento produzido pela fadiga levam também a limitação social.

Dia 27/04 farei a quarta sessão de quimio, e pretendo falar com o oncologista a respeito. Vamos ver se há algum remedinho paliativo para esse sintoma tão desagradável.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

OBRIGADA PELO SEU COMENTÁRIO, MUITO BOM TER VOCÊ POR AQUI! AJUDE-NOS NA CAMPANHA DE CONSCIENTIZAÇÃO DE COMBATE AO CA DE OVÁRIO, DIVULGANDO E COMPARTILHANDO AS NOSSAS POSTAGENS!

Rucaparib para câncer de ovário recorrente

Data : 08 de setembro de 2017 Fonte: ESMO 2017 LUGANO-MADRID - A terapia de manutenção de Rucaparib aumenta a sobrevivência livre d...