sexta-feira, 2 de outubro de 2015

Outubro Rosa 2015

DADOS DO CÂNCER DE MAMA - Segundo o Inca (Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva, em 2015, são esperados em torno de 57.120 casos novos de câncer de mama, com um risco estimado de 56,09 casos a cada 100 mil mulheres. O câncer de mama é o tipo de câncer que mais acomete as mulheres em todo o mundo, e a segunda causa de morte por câncer nos países desenvolvidos, ficando atrás somente do câncer de pulmão, e a maior causa de morte por câncer nos países em desenvolvimento.
No Brasil, a mamografia bienal para mulheres entre 50 e 69 anos e o exame clínico das mamas, anualmente, a partir dos 40 anos, são recomendados para a detecção precoce do câncer de mama em mulheres com risco padrão. Para as mulheres de grupos populacionais considerados de risco elevado para câncer de mama (com histórico familiar de câncer de mama em parentes de primeiro grau), tanto o exame clínico da mama como a mamografia devem ser feitos todo ano, a partir de 35 anos.

O Outubro Rosa é uma campanha mundial, que começou nos Estados Unidos na década de 1990, durante a primeira Corrida pela Cura de Nova York.  Depois disso, recebeu adesão de outros países e recebeu atividades voltadas ao diagnóstico e prevenção da doença.

Detecção precoce
É importante que as mulheres, independentemente da idade,  conheçam seu corpo para saber o que é e o que não é normal em suas mamas. Ao identificarem alterações suspeitas, devem procurar imediatamente um serviço de saúde para avaliação profissional.

Além de estar atenta ao próprio corpo, também é recomendado que a mulher faça exames de rotina de acordo com a sua idade. Esses exames podem ajudar a identificar o câncer antes de a pessoa ter sintomas. No Brasil, as orientações para detecção precoce do câncer de mama são:

Mulheres de 40 a 49 anos
Realizar o exame clínico das mamas anualmente.

Mulheres de 50 a 69 anos
Realizar exame clínico das mamas anualmente e mamografia a cada dois anos.

Mulheres com risco elevado para câncer de mama (caso na família de câncer de mama masculino; ter parente de primeiro grau [mãe, irmã, filha] que teve câncer de mama antes dos 50 anos; parente com câncer de mama bilateral (nas duas mamas) ou no ovário, em qualquer idade)
Conversar com o seu médico para avaliação do risco e decidir a conduta a ser adotada.
Quais os benefícios e riscos da mamografia?
Antes dos 50 anos, as mamas são mais firmes e têm menos gordura (mamas densas), o que torna a mamografia limitada para identificar alterações. Por este motivo, quando o exame é realizado antes da faixa etária recomendada, pode trazer alguns riscos. No entanto, a mamografia de rastreamento pode trazer riscos para mulheres de todas as faixas etárias, como:

Resultados incorretos: suspeita de câncer de mama, que requer outros exames, sem que se confirme a doença (esse alarme falso gera ansiedade e estresse) ou resultado normal, quando existe o câncer (esse erro gera falsa segurança à mulher).
Ser diagnosticada e tratada, com cirurgia (retirada parcial ou total da mama,) quimioterapia e radioterapia, de um câncer que não ameaçaria a vida: isso ocorre em virtude do crescimento lento de certos tipos de câncer de mama, ou no caso de pacientes acima de 70 anos.
Exposição aos Raios X: raramente causa câncer, mas há um discreto aumento do risco quanto mais frequente é a exposição.
Em caso de resultado alterado no exame clínico das mamas, a mamografia é indicada e, neste caso, ela é considerada "mamografia diagnóstica".

Clique aqui para ter mais informações sobre as ações de controle do câncer de mama no Brasil e sobre as orientações para detecção da doença


PARTICIPEM DAS CAMPANHAS EM SUA CIDADE! 


Um comentário:

OBRIGADA PELO SEU COMENTÁRIO, MUITO BOM TER VOCÊ POR AQUI! AJUDE-NOS NA CAMPANHA DE CONSCIENTIZAÇÃO DE COMBATE AO CA DE OVÁRIO, DIVULGANDO E COMPARTILHANDO AS NOSSAS POSTAGENS!

Rucaparib para câncer de ovário recorrente

Data : 08 de setembro de 2017 Fonte: ESMO 2017 LUGANO-MADRID - A terapia de manutenção de Rucaparib aumenta a sobrevivência livre d...