segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Oncogenética.

Hoje estive no AC Camargo e passei em consulta com o Dr. Carlos Faloppa. Os exames indicaram que estou muito bem, obrigada! A ressonância magnética do abdômen total e a tomografia do torax não evidenciaram nenhuma manifestação da doença, assim como, o marcador tumoral deu negativo. Minha próxima consulta para acompanhamento será daqui a 4 meses. 
O Dr. Carlos também me encaminhou para uma consulta com um especialista em oncogenética, pois em algumas famílias que apresentam certos tipos de câncer, as pessoas podem ter herdado genes que sofreram alterações (mutações). Esses genes podem trazer um risco maior de desenvolvimento da doença. Atualmente já são conhecidos vários genes alterados ou mutantes que aumentam o potencial de desenvolvimento de câncer de mama, ovário, cólon e próstata, bem como uma variedade de cânceres raros. O aconselhamento genético começa com uma consulta na Oncogenética, onde o especialista aborda informações referentes à saúde, hábitos de vida e busca informações sobre os familiares de primeiro e segundo graus (pais, irmãos, tios primos e avós). Marquei a consulta para o próximo dia 14/12/2012. Ao efetuar o agendamento, me solicitaram para levar informações de meus pais, irmãos, avós, tios e primos, incluindo os casos de câncer na família. Sei que dará trabalho levantar todas as informações, mas valerá a pena.

P/S: Hoje, 14/12, passei em consulta com a Dra. Maria Nirvana, da área de Oncogenética do A C Camargo. Ela  perguntou várias coisas sobre mim e sobre a minha família e me disse que o câncer de ovário é um câncer relativamente raro e que costuma acometer mulheres mais velhas, pós menopausa. Quando acomete pessoas com menos de 50 anos, e em cuja família ocorreram casos de câncer, como no meu caso, existe a possibilidade de haver mutação de genes. Desta forma, ela me solicitou a realização do exame BRCA1 e BRCA2, pois caso esta mutação seja confirmada, há grandes chances de eu vir a ter também câncer de mama, bem como, irmã e sobrinhas também terão 50% de chance de desenvolverem câncer de mama,  ovário ou intestino, e o meu irmão câncer de próstata ou intestino. Como se trata de um exame caro (em torno de R$7.000,00), terei que aguardar a aprovação do meu convênio. Agora é torcer para que eles aprovem!
Hoje, dia 17/12 consultei o site da Notredame para verificar se o exame foi aprovado. Consta que foi NEGADO, uma vez que não consta no rol de procedimentos da ANS. Agora, só me resta fazer os exames de mama de 6 em 6 meses e orientar a minha irmã para que também faça exames preventivos semestrais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

OBRIGADA PELO SEU COMENTÁRIO, MUITO BOM TER VOCÊ POR AQUI! AJUDE-NOS NA CAMPANHA DE CONSCIENTIZAÇÃO DE COMBATE AO CA DE OVÁRIO, DIVULGANDO E COMPARTILHANDO AS NOSSAS POSTAGENS!

Rucaparib para câncer de ovário recorrente

Data : 08 de setembro de 2017 Fonte: ESMO 2017 LUGANO-MADRID - A terapia de manutenção de Rucaparib aumenta a sobrevivência livre d...