domingo, 30 de setembro de 2012

Meu novo eu está entrando em ação.


No dia 28/09/12, completaram 05 meses desde a minha "Grande Cirurgia"! Recuperação difícil e, mais difícil ainda, foram as quatro sessões de quimioterapia pós-cirurgia. Foram meses de muita dor, muito enjoo, neuropatia, falta de paladar, cansaço e outras "cositas"  mais,  mas, finalmente, tudo passou!
Confesso que fiquei sem chão quando terminei as quimioterapias, pois, enquanto em tratamento, eu me sentia amparada e agora estou me sentindo, de certa forma, totalmente descoberta. Além do mais, as consultas médicas e exames, que inicialmente eram mensais, passaram a ser trimestrais! Esta fase também está sendo bastante difícil, pois estou tendo que lidar com muita ansiedade e a apreensão! 
Estou retomando todas as minhas atividades e, esta semana, voltarei ao trabalho, após 10 meses de licença para tratamento de saúde .Todos esses meses afastada também serviram para eu juntar os meus pedaços e me refazer! Agora, terei que me readaptar ao trabalho, à rotina diária, à jornada de 8 horas diárias, aos novos colegas de trabalho e ao meu novo ritmo!
Decidi que não irei mais me estressar e que o meu trabalho não terá mais tanta importância em minha vida! Darei prioridade à minha saúde e à minha família. De agora em diante, minha vida terá que se readequar ao meu novo Eu, que está entrando em ação. Espero que o Eu atual seja melhor do que o Eu antigo: com menos defeitos, mais qualidades e sentimentos mais verdadeiros. Afinal, eu quero muito voltar a sorrir para a vida, sem medo, sem lágrimas e sem sofrimento!




terça-feira, 25 de setembro de 2012

Questionário de dois minutos detecta mulheres em risco de câncer de ovário


Abordagem aplicada no consultório médico pode permitir detecção precoce da doença, essencial para a sobrevivência


Um simples questionário de dois minutos realizado no consultório médico pode efetivamente identificar mulheres com sintomas que podem indicar câncer de ovário, segundo estudo realizado por pesquisadores do Fred Hutchinson Cancer Research Center, nos EUA.

A detecção precoce de câncer de ovário é a chave para a sobrevivência. As taxas de cura para as pacientes diagnosticadas quando a doença está apenas no ovário é de aproximadamente 70 a 90%. No entanto, mais de 70% das mulheres com a doença são diagnosticadas com doença avançada, quando a taxa de sobrevivência é de apenas 20 a 30%.
Os pesquisadores avaliaram a eficácia e a viabilidade de várias pesquisas diferentes de rastreamento de sintomas.
Após alguns ajustes na formatação e conteúdo, a versão que se mostrou mais eficaz continha um questionário com três perguntas que verificavam se uma mulher estava experimentando atualmente um ou mais dos seguintes sintomas, identificados previamente como indicativos de câncer de ovário:
- Dor abdominal e / ou pélvica;
- Rápida sensação de satisfação e / ou incapacidade de se alimentar normalmente;
- Distensão abdominal e / ou tamanho maior abdômen
O questionário também verificou a frequência e duração desses sintomas.
"Sintomas como dor pélvica e inchaço abdominal podem ser sinal de câncer de ovário, mas eles também podem ser causados por outras condições. O que é importante é determinar se eles são atuais, de início recente e ocorrem com frequência", afirma a líder da pesquisa M. Robyn Andersen.
O estudo envolveu 1.200 mulheres, com idade entre 40 87 anos. Mais da metade das participantes do estudo relataram estar na pós-menopausa e cerca de 90% eram brancas.
Das entrevistadas, 5% foram encaminhadas para testes adicionais após responderem ao relatório. Deste grupo de cerca de 60 mulheres, uma foi diagnosticada com câncer de ovário em breve.
Das 95% das mulheres que testaram negativo no relatório, nenhuma desenvolveu câncer de ovário durante um período de 12 meses de acompanhamento, o que atesta a precisão da ferramenta de triagem.
Segundo a equipe, a ferramenta de triagem pode ser usada facilmente em um ambiente de cuidados primários, além de ser aceitável para os pacientes e médicos e identificar mulheres com sintomas com o mínimo de resultados falso-positivos.


Fonte: Isaude.net - publicado em 23/09/2012 às 07h00:00

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Descoberto gene que intervém nos cânceres de ovário mais agressivos


Tratamento de quimioterapia não tem sucesso em mulheres com este material genético

Cientistas de uma universidade britânica identificaram um gene que intervém em tumores de ovário muito agressivos e que poderia ser utilizado para prever se as pacientes responderão adequadamente à quimioterapia.
A descoberta, publicada no último número da revista médica British Journal of Cancer, é fruto do trabalho de um grupo de pesquisadores da Universidade de Dundee (Escócia) liderados pela doutora Gillian Smith.
Os pesquisadores descobriram que esse gene, chamado FGF1, se encontra em grandes quantidades nas células tumorais de pacientes resistentes aos tratamentos com quimioterapia combinada com platina.
A equipe de Gillian considera que seria possível analisar os níveis deste gene para determinar se uma mulher responderá adequadamente a esses fármacos, antes de administrá-los.
Em seu estudo, os pesquisadores analisaram uma grande variedade de genes que pareciam intervir no câncer de ovário de 187 pacientes e descobriram que o FGF1 desempenhava o papel principal na hora de determinar a evolução do tumor.
Os cientistas descobriram também que a atividade desse gene aumenta ainda mais quando as células do tumor se tornam resistentes à quimioterapia.
Em seu experimento, os especialistas bloquearam o gene nas células tumorais resistentes ao tratamento, que alcançaram vencer para torná-las sensíveis de novo à quimioterapia.
"Nosso estudo abre caminho para o desenvolvimento de novos testes que determinem se a quimioterapia funcionará nestes casos e sugere que os fármacos dirigidos ao gene FGF1 poderiam ser efetivos para um grupo de mulheres com um tipo de câncer de ovário que atualmente é muito difícil de tratar", explicou Gillian.
20/09/2012 - 09h00 | Agência Efe | Londres

terça-feira, 18 de setembro de 2012

Escolha um médico em quem você confia.


Hoje, dia 18/09/12, tive um encontro marcado com o homem que mais me conhece por dentro: É claro que estou falando do meu médico cirurgião, Dr. Carlos Faloppa. Rsrs
Levei a ele o resultado de uma ressonância do abdome total, cujo laudo menciona a presença de um cisto (imagem nodular hipoatenuante) na região pélvica direita. Ele analisou as imagens e mencionou que acredita ser uma linfocele, em razão de a região onde se encontra ter sido muito manipulada durante a cirurgia. Como ele gosta de ouvir uma segunda opinião, solicitou também o parecer  do Dr. Glauco – Chefe da Ginecologia -  e,  após avaliarem o laudo, decidiu-se que voltarei  em consulta e repetirei os exames após três meses, pois se eu realizar um exame pet scan agora, menos de dois meses após a última quimio, poderá ocorrer alguma interferência no resultado.
Confio plenamente no Dr. Carlos, pois ele, mesmo jovem, possui um curriculum de peso. A confiança é fundamental para qualquer paciente em tratamento. Escolher o seu médico, tanto cirurgião, quanto oncologista, é uma decisão muito séria, pois é sua vida que está em jogo e qualquer erro pode ter sérias conseqüências. Além de confiar, também sinto muito carinho por ele, pois percebo que ele é uma “pessoa sensível” e que sente um certo pesar quando comento alguma coisa com conotação negativa, como sobrevida ou recidiva ! Atualmente, a minha oncologista é a Dr. Milena, e tenho também gostado muito dela. Ela é bem jovenzinha, mas muito atenciosa e dedicada. Sinto que meus médicos se preocupam comigo e percebo que eles me tratam com carinho. É o tratamento humanizado! Isso me conforta e me deixa mais segura e confiante em meu pleno restabelecimento!

Vantagens e desvantagens de se ter câncer

Vantagens:
- Todo mundo passa a gostar mais da gente;
- O câncer é solidário;
- Parentes e amigos se aproximam mais;
- Carteirinha passe livre: É só falar que tem câncer para ter acesso preferencial e agilidade na prestação de serviços. (Visitei a exposição de pintores impressionistas no Espaço Cultural Banco do Brasil, sem pegar fila; Assisti a um evento em Interlagos no espaço Vip; Tive atendimento vip de um guia em Foz do Iguaçu);
- Posso usar a doença como desculpa para estar chata e irritada (antes eu dizia que era a TPM).
- Sem contar os direitos do paciente com câncer, é claro (saque do PIS e FGTS; isenção de impostos, e outros).

Desvantagens:
- O olhar pé de cova: Quando alguém que não o vê faz tempo, não consegue esconder a surpresa de vê-lo ainda vivo (em duas situações distintas, umas vizinhas, quando me viram, arregalaram o olho e até deram um pulo para trás . Parecia que tinham visto uma assombração! Nheca!!!). Não consegui esconder o riso. Foi hilário!
- A cobrança que existe sobre o paciente com câncer: Você deve ter somatizado alguma coisa para ter tido esse câncer ou deve ter se desviado dos caminhos de Deus;  Tenha fé, pense positivo, seja bom, faça tudo direitinho que você sairá dessa; e outras mais.... E quem é ateu, e as crianças, será que somatizaram alguma coisa, não pensaram positivo ou não foram boazinhas? Será que nunca vencerão o câncer?
- A notícia sobre o câncer tem metástase: é só um ficar sabendo que a notícia se espalha.
- O desejo mórbido das pessoas te verem de cama e após te verem bem ainda dizem: Nossa, pensei que você estivesse mais debilitada!
- Ficar careca e ainda ter que ouvir: Não ligue que o cabelo é de menos!
- Quando se está afastado do trabalho e alguém disser: E aí, como é que está a boa vida? (Como se você estivesse curtindo umas férias) Poupe-me né?
- Alguém morre com câncer e todo mundo lembra de você: alguns até se arriscam a vir te cumprimentar dizendo - nossa soube do fulano (a)? E como é que você está? que bom que você está ainda aqui, e tão forte e bonita...rsrsr

sábado, 15 de setembro de 2012

TABAGISMO E CÂNCER DE OVÁRIO

Cientistas descobrem uma ligação entre tabagismo e câncer de ovário. Pesquisa financiada pelo Cancer Research UK e publicada na revista Lancet Oncology estabeleceu uma forte ligação entre o tabagismo e a neoplasia de ovário.
Anteriormente pensava-se que apenas uma ligeira associação entre os dois existia. No entanto, a equipe de pesquisa com base na Universidade de Oxford descobriu uma relação significativa entre o consumo de cigarros e tumores mucinosos, um tipo de tumor responsável por cerca de 15% dos cânceres de ovário.
Fonte: News Track India, 12 September 2012 

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

O fantasma da incerteza...

Lidar com a incerteza é pior do que lidar com a doença em sí.
Após o baque inicial, quando da descoberta do câncer, fiquei mais tranquila quando iniciei o tratamento, tanto cirúrgico, quanto quimioterápico, pois sabia que tudo estava sendo feito para erradicar a doença.
Agora, após o término do tratamento, fica a incerteza e muitos SERÁS rodeiam a minha cabeça: será que o tratamento deu certo? será que ficarei curada? será que a doença irá voltar? será que o marcador tumoral irá subir? será que os exames que eu fizer darão alguma alteração? será que vencerei este câncer? será que é falta de fé tanta incerteza? será? será? será?
Acredito que a incerteza ocorra em razão de o câncer ter suas particularidades e ser, de certa forma, uma doença incerta e traiçoeira, cuja medicina, muitas vezes, não pode prever como determinado organismo reagirá aos tratamentos efetuados!
Quando esses Serás surgem, procuro desviar o meu pensamento, mas confesso que não é fácil, pois creio que o fantasma da incerteza irá me assombrar para o resto da vida!
A verdade é que não sabemos o que irá nos acontecer e o que o futuro nos reserva, doentes ou não - apenas acreditamos saber.  Montamos grandes roteiros em nossas mentes de todas as coisas que podem nos acontecer. Na maior parte das vezes estamos errados. Se não perdermos a tranquilidade e não nos mantivermos abertos para as oportunidades, podemos estar certos que, eventualmente, tudo terminará bem. Lembre-se: Talvez sim, talvez não.

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Com a pilha toda...

Hoje, acordei com a pilha toda, muito animada e muito disposta!
Sinto muita energia dentro de mim que precisa ser extravasada de alguma forma e, para tanto, decidi caminhar em um parque próximo de minha casa.
Embora a energia que sinto seja grande, o corpo ainda está bastante enferrujado e não corresponde exatamente às minhas expectativas!
Antes de adoecer, eu costumava dar 10 voltas no parque numa boa! Hoje, consegui dar 4 voltas, devagar é claro! Já é um sucesso para quem ficou parada quase 1 ano! Também consegui fazer meia hora de exercícios com aparelhos (sabe aquelas academias para idosos?). Após os exercícios, abracei  uma grande árvore e senti a sua energia e o seu frescor em contato com o meu corpo. Depois, deitei na grama e fiquei bem relaxada por um bom tempo, sentindo o cheiro de mato, ouvindo os pássaros e o vento balançando as folhas das árvores,  olhando para o céu, que estava azul, límpido! Esqueci dos meus problemas e me senti integrada àquela natureza. Agradeci a Deus por aquele momento e por toda aquela beleza e pedi a ele para prolongar a minha estada aqui na Terra, pois adoro o nosso planeta, mesmo com toda a poluição, violência, caos e tudo o mais!
Voltei para casa com as energias renovadas!

terça-feira, 11 de setembro de 2012

"Testes para câncer no ovário são inúteis"


terça-feira, 11 de setembro de 2012


Especialistas dizem que não há testes de rotina recomendados para mulheres que não apresentem sintomas de câncer de ovário. São registrados 22.200 novos casos de câncer de ovário por ano nos EUA

Da Redação com AFP vivabem@band.com.br

Os Testes recomendados para detectar um câncer de ovário em mulheres com boa saúde são inúteis e, no geral, prejudiciais, concluiu um grupo federal de cancerologistas americanos. Os exames, que consistem na análise do sangue para detectar a substância e os marcadores biológicos vinculados ao câncer e em uma ultrassonografia de ovários, não permitem reduzir a mortalidade, segundo um grupo de trabalho do serviço de prevenção americana, o US Preventive Service Task Force.
Além disso, estes procedimentos produzem muitos falsos positivos, que levam a intervenções cirúrgicas sem necessidade e com uma elevada taxa de complicações. A presidente deste grupo de trabalho, Virginia Moyer, afirma que "Não existe um método eficaz de detecção do câncer de ovário que permita reduzir a mortalidade”.
O grupo diz que não há testes de rotina recomendados para mulheres que não apresentem sintomas de câncer de ovário e que não portam mutações genéticas como as encontradas nos genes BRCA1 e BRCA2, que aumentam o risco de sofrer a doença.
Outras associações médicas americanas já realizaram recomendações similares à do grupo federal, como Associação Americana Contra o Câncer (American Cancer Society) ou o grupo de ginecologistas americanos, o American Congress of Obstetricians and Gynecologists.
O grupo de trabalho do serviço de prevenção americano, formado por médicos especialistas independentes e nomeados pelo governo federal, já havia anunciado a inutilidade de um teste de detecção do câncer de próstata conhecido como PSA e da mamografia de rotina para mulheres com menos de 50 anos.
Enquanto existe um consenso na comunidade médica no que se refere às recomendações dos testes de detecção do câncer de ovário, não acontece a mesma coisa no que se refere aos testes de próstata e mamografias que são alvo de grandes controvérsias entre os especialistas.
O câncer de ovário é bem raro, e são registrados 22.200 novos casos e 15.500 mortes por ano nos Estados Unidos.


Se correr o bicho pega, se ficar o bicho come...

Às vezes a gente fica num beco sem saída, não importa o caminho a ser tomado, pois inevitavelmente ele nos levará ao mesmo destino tenebroso. Provavelmente você já vivenciou uma situação parecida. Existe até uma expressão bastante utilizada que diz o seguinte: “Se correr o bicho pega, se ficar o bicho come”.

Desde que menstruei pela primeira vez sentia fortes dores nas mamas. Muito cedo descobri que possuía displasia mamária e vários cistos em ambas as mamas.
Em razão disso, nunca pude tomar qualquer tipo de hormônio, inclusive anticoncepcionais, pois corria o risco de ter câncer de mama. Hilário não? Para evitar um câncer de mama acabei tendo um câncer de ovário, pois o anticoncepcional ajuda na prevenção do câncer de ovário! (Seria cômico se não fosse trágico!)
É claro que continuo fazendo o acompanhamento com o mastologista a cada seis meses. No dia 03/09/12, realizei no próprio hospital AC Camargo os exames de rotina e a mamografia foi repetida em razão da presença de um pequeno nódulo na mama direita, o qual foi confirmado com a ultrassonografia! Ainda não peguei o resultado do exame, pois terei uma consulta com o mastologista no dia 18/09 e é ele quem  poderá confirmar o resultado e dizer se terei ou não que fazer algum tipo de biópsia. Confesso que não estou com medo, pois estou tão calejada por causa do tratamento para o câncer de ovário, que nem me abalo mais... mas é claro que espero que não seja nada de mais grave! Xô, xô coisa ruim!!!
p/s: Passei com o médico mastologista e ele me disse que se trata de um cisto solidificado, que não é nada grave. Pediu-me para repetir os exames em 6 meses. Ufá! Graças a Deus!

domingo, 9 de setembro de 2012

Voltando à ativa... o trabalho voluntário.

Em 03 de setembro, segunda-feira, fiquei muitíssimo feliz em poder retomar os meus trabalhos no Centro Espirita Edgard Armond. Enquanto eu estava em tratamento quimioterápico tive que me afastar de minhas atividades, mas após o término do mesmo, felizmente, pude voltar. 
Uma vez por semana, trabalho como voluntária na câmara de passes e este, para mim,  é um trabalho muito gratificante, pois muitas pessoas procuram auxílio espiritual para os seus males físicos e espirituais.
Os métodos de cura com as mãos estão ganhando cada vez mais adeptos no Brasil e já começam a ser aceitos como complementação eficiente ao tratamento médico convencional.
O Passe é a transfusão ou transmissão de energias humanas somadas às energias dos bons Espíritos, agindo em favor do reequilíbrio físico, emocional e espiritual de quem necessita. O Objetivo do Passe, tanto com relação ao assistido, quanto ao passista é estar em comunhão com os Bons Espíritos, se reequilibrando, se purificando e, para isso, devemos estar sempre alerta quanto à nossa melhoria espiritual, trabalhando sempre a humildade, boa vontade, fé, respeito e acima de tudo a responsabilidade que nos cabe. 
É muito bom poder auxiliar de alguma forma ao próximo, pois ajudando ao nosso semelhante, ajudamos também a nós mesmos. Eu mesma, após cada trabalho, sinto-me renovada, em paz e feliz graças ao bom Deus! 

Gabapentina engorda sim!!!

Faz um mês que terminei o tratamento quimioterápico e ainda sinto alguns efeitos colaterais: minha imunidade continua baixa, estou anêmica, inchada e ainda sinto a neuropatia. 
Para diminuir os sintomas da neuropatia eu estava tomando gabapentina de 300 mg, mas percebi que eu estava engordando demais. Depois de 1 mês tomando a tal droga, comecei a perceber as minhas roupas mais apertadas e resolvi ler a bula na íntegra; A bula informa o seguinte: ...Os eventos adversos mais comumente associados com a descontinuação do tratamento foram tontura, nervosismo, ganho de peso, náusea e/ou vômito e sonolência...
Isso quer dizer que algumas pessoas abandonaram o tratamento com este medicamento em razão do aumento de peso e foi o que eu fiz também. Abandonei o tratamento com gabapentina, pois além do aumento de peso percebi também outras reações desagradáveis, como tontura, náuseas, inchaço e dor de cabeça!
Assim não dá né? Para resolver um incômodo surgem outros mais!!!! 
Falei com a minha médica oncologista a respeito e ela me prescreveu o Lyrica. Ainda não o comprei, pois é bem mais caro e, lendo a bula, a mesma informa que esse medicamente também aumenta o apetite! Assim não dá...


Exame de sangue em estudo pode detectar câncer em estágio inicial

Teste identifica rastros do código genético de vários tipos de tumores. Biópsia líquida deve estar disponível aos pacientes no prazo de 2...