quarta-feira, 23 de maio de 2012

O tratamento quimioterápico e a dieta anticâncer...

Confesso que fiquei muito frustrada com o resultado da primeira tentativa de citorredução.  A frase: "Cirurgia abortada em razão do grande acometimento do abdômen" não saia da minha cabeça. Eu chorava o tempo todo, mas as palavras do Dr. Carlos Faloppa, "confie em mim, confie em mim, de coração acredite que tudo dará certo" foram mais fortes que o meu desânimo e de fato passei a crer no que ele disse. Prometi a mim mesma que eu me empenharia ao máximo e que o resultado iria surpreender a todos.
Iniciei a quimioterapia em fevereiro de 2012, uma combinação de carboplatina e taxol, e associada a mesma, iniciei uma dieta anticâncer. Para potencializar o efeito da quimioterapia, inclui em minha dieta muitas frutas, principalmente as vermelhas, verduras, carne de frango e de peixe, damasco seco, amêndoas, leite de soja, pão e arroz integral, azeite e adoçante stevia.  Exclui de minha dieta leite e derivados, carne vermelha, frios, enlatados, açúcar e carboidratos.
Também iniciei um ritual de meditação, onde todas as noites eu conversava com o meu corpo e reivindicava a minha saúde perfeita novamente, solicitando que todas as células do meu corpo trabalhassem contra esta doença. Também fortaleci a minha fé e diariamente agradecia à Deus por tudo, inclusive pela doença...
Felizmente, não tive tantas reações com a quimioterapia: não senti enjoo, não perdi o apetite ou o paladar. Os únicos sintomas que tive foram fortes dores no abdômen e nos ossos, os quais surgiam exatamente 3 dias após cada ciclo. Os meus cabelos também começaram a cair após 3 semanas. 
Como saiam tufos de cabelo, decidi eu mesma passar a maquininha e acabar de vez com aquele tormento. No início, tentei usar lenços na cabeça, mas não me adaptei. Encontrei na internet um site de perucas nos EUA e decidi comprar uma curtinha, com reflexos. Demorou uma semana para chegar e ficou perfeita, em razão de ser leve e bem natural. 

Após a segunda quimio, as veias de minhas mãos também estavam literalmente sumindo e tive que colocar um catéter para receber as quimios. Foi uma cirurgia simples, com 45 minutos de duração e leve sedação. Fui internada pela manhã e no final da tarde já tive alta.
A cada quimioterapia a minha médica oncologista solicitava o exame de marcador tumoral CA 125 e os resultados eram surpreendentes. Quando fui diagnosticada o marcador tumoral estava em 590, após a primeira quimio caiu para 160, após a segunda caiu para 60, após a terceira ficou em 35 e após a quarta  ficou em 18,8. O meu abdômen, que no início estava estufado e inchado, começou a ficar bem molinho. Fiz uma nova tomografia e os resultados também foram muito bons e minha médica oncologista pediu-me para marcar nova consulta com o médico cirurgião. Marquei consulta com o Dr. Carlos Faloppa para o início de abril e, após ele me examinar e verificar os meus exames, decidiu marcar nova cirurgia para o dia 28/04/12. Ele ficou super animado com os resultados dos exames e disse que aquele era o momento certo para a cirurgia!
Fiquei extremamente feliz, pois eu imaginava que teria que fazer 6 ciclos de quimioterapia para poder efetuar a cirurgia e não pude crer que com 4 ciclos eu já poderia operar! O médico também ficou surpreso de como o meu organismo tinha reagido bem à quimioterapia! Saí do consultório em estado de euforia, agradecendo a Deus por Ele  estar operando um milagre em minha vida!

2 comentários:

  1. Creia somente, Deus opera milagres pelos instrumentos humanos. Nunca deixe de agradecer a esse Deus, Criador que conhece o fim desde o começo. E daqui para frente essa será sua dieta.

    ResponderExcluir
  2. Que excelente notícia, imagino como isso foi maravilhoso naquele momento!
    Espero que esteja tudo bem! Pensei em iniciar uma dieta também, obrigada pelas informações.

    Grande beijo,
    Adriane.

    ResponderExcluir

OBRIGADA PELO SEU COMENTÁRIO, MUITO BOM TER VOCÊ POR AQUI! AJUDE-NOS NA CAMPANHA DE CONSCIENTIZAÇÃO DE COMBATE AO CA DE OVÁRIO, DIVULGANDO E COMPARTILHANDO AS NOSSAS POSTAGENS!

CÂNCER DE OVÁRIO - NOSSA VOZ GANHANDO FORÇAS

Há 5 anos atrás muito pouco se ouvia falar sobre câncer de ovário! Muitas mulheres diagnosticadas com ca de ovário  sofriam caladas e isol...